SOBRE NÓS “+

O CHE RG é um grupo de investigadores da Universidade do Porto no âmbito do clima, saúde e ambiente, que conta com a coordenação da Professora Doutora Ana Monteiro do Departamento de Geografia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal).

ver mais...

projetos a decorrer

2009/ --- Os SIG no apoio à gestão e tomada de decisão nos cuidados de saúde.
SIG, Cuidados de Saúde Primários, ACES, Georreferenciação
Luís Fonseca, Ana Monteiro, Sara Velho, Mário Almeida, Carlos Sousa 

 

1.Enquadramento2.Enquadramento ACES3.AreasHomogeneas subsec

Este projeto surgiu na sequência do protocolo de colaboração entre o CHE RG e o Agrupamento de Centros de Saúde Espinho Gaia (ACES Espinho/Gaia), celebrado em 2009, no âmbito da investigação realizada no Projeto "Riscos para a saúde pública causados pelas ondas de calor e vagas de frio na área do Porto” e que propiciou a concretização de oito dissertações de mestrado em Sistemas de Informação Geográfica e Ordenamento do Território e em Riscos, Cidades e Ordenamento do Território (Luís Fonseca, Mário Almeida, Paula Meireles, Marta Silva, Maria Moreira, Filipe Esteves, Susana Sousa, Vera Silva).

Esta linha de investigação iniciou-se com a elaboração do primeiro Diagnóstico Estratégico do ACES Espinho/Gaia em 2010, cujo sucesso serviu para consolidar o interesse mútuo e a plataforma de confiança necessária para a manutenção da colaboração até agora.

Dentre os subprojectos desenvolvidos no âmbito deste protocolo, salienta-se, a título de exemplo, A Definição de áreas homogéneas para a distribuição de enfermeiros de família para a unidade familiar da nova via – ACES Espinho-Gaiae Contributo dos SIG para a identificação do contexto biogeofísico e socioeconómico dos maiores de 64 anos. Estudo de caso: ACES Espinho/Gaia,que visou demonstrar a eficácia dos Sistemas de Informação Geográfica enquanto ferramenta de apoio à gestão e à tomada de decisão nos cuidados de saúde primários. Para além deste subprojecto demonstrou-se também a eficácia dos Sistemas de Informação Geográfica enquanto ferramenta para georreferenciar os utentes, os idosos isolados, os utentes com patologias associadas, entre outros grupos, oferece, a estes profissionais de saúde, o acesso facilitado à informação e, consequentemente, um melhor conhecimento e compreensão da localização e dimensão da população abrangida pelos serviços de saúde, do seu estado de saúde e do território onde atuam.